Agende seu Atendimento Virtual pelo Departamento Jurídico do Sepe nos fones: (21) 99992-4931 (9h às 11h); (21) 97133-7101 (13h às 15h); ou pelo email: juridico@seperj.org.br – segunda a sexta feira

Os profissionais das escolas municipais de Duque de Caxias, que estenderam a greve de 72 horas iniciada no dia 17 de setembro até a próxima sexta-feira (dia 22/9), farão uma assembleia geral no Espaço Cultural Lira de Ouro (Rua José Veríssimo, 72 – Vila Meriti), a partir das 13h para discutir os rumos do movimento. Hoje, a categoria promoverá uma corrida aos gabinetes, a partir das 16h e irá acompanhar a sessão do Legislativo municipal. 

Na manhã da sexta-feira (dia 21) a categoria realizará panfletagens nos seguines pontos da cidade: Praça Roberto Silveira, Praça do Relógio e Estação Ferroviária.

0

O Sepe São Gonçalo convoca os profissionais de educação das escolas municipais em greve, alunos e responsáveis para o ato em defesa dos direitos da Educação, que será realizado no dia 22 de setembro, na Praça do Zé Garoto, a partir das 7h30m Neste dia, em que se comemora o aniversário de São Gonçalo, o Sepe convida a população e a categoria para que possamos dar uma mostra da força da nossa mobilização em torno da luta pela educação pública e de qualidade e, assim, obrigar o prefeito José Luiz Nanci a atender as nossas reivindicações. O Sepe recomenda que os participantes do ato usem roupas pretas.

0

Com relação à ocorrência de mais um caso de agressão a um profissional de educação dentro do espaço escolar, o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe Rio das Ostras/Casimiro de Abreu) vem, através desta nota, esclarecer sua posição sobre o problema da violência nas escolas.
 
O vídeo que circula nas redes sociais mostra um professor sendo ofendido por alunos na sala de aula do Ciep Municipal Mestre Marçal. O professor demonstra calma em todos os momentos do vídeo, mas após o ocorrido foi à secretaria de educação solicitar ajuda. A informação de que o professor pediu demissão não foi confirmada pela Secretaria Municipal de Educação de Rio das Ostras.    
 
Nós do sindicato temos a certeza que se as providências necessárias não  forem tomadas por parte desta secretaria, caminharemos para casos  mais graves, como vem acontecendo em outros estados e municípios. Os profissionais de educação não conseguem mais conviver com tamanha insegurança.
 
A falta de profissionais nas escolas e o número excessivo de alunos vem agravando muito esta situação. Precisamos de um novo concurso publico imediatamente para a entrada de novos profissionais da educação nas escolas para suprir essa demanda.
 
 As condições de vida de nossos alunos são refletidas dentro das escolas. Muitas vezes, lidamos com estudantes que, além da má condição social, expressam também distúrbios psíquicos e dificuldades variadas o que interfere no seu aprendizado.
 
Acreditamos que a escola em tempo integral é uma solução, porque cria possibilidades maiores do sentimento de pertencimento do aluno com relação à escola, evitando conflitos com os professores.
 
Acreditamos também que os educadores devem trabalhar o esporte e a cultura junto com a educação, por exemplo, através de oficinas pedagógicas, criando alternativas para a nossa juventude, enxergando o problema da segurança dos professores de outro prisma.
 
O Sepe é contrario à ideia de colocar policiais nas escolas, sabemos que isso não vai resolver o problema. O problema da violência dentro das escolas em nosso município deve ser combatido com o firme dialogo com nossos alunos, mas não só isso, com medidas enérgicas por parte do governo como a imediata reabertura dos Centros Integrados de Convivência fechados pela prefeitura de Rio das Ostras. Em um momento de crise econômica como este, essa medida vai na contramão das necessidades, o que demonstra o abandono da juventude que fica em uma situação vulnerável. Nós profissionais da educação não podemos deixar nenhuma criança e adolescente fora da escola, precisamos transformar o espaço da escola em um ambiente acolhedor e seguro para os educadores e para os alunos.
 
Assista ao vídeo do caso pelo link abaixo:
 
0