Agende seu Atendimento Virtual pelo Departamento Jurídico do Sepe nos fones: (21) 99992-4931 (9h às 11h); (21) 97133-7101 (13h às 15h); ou pelo email: juridico@seperj.org.br – segunda a sexta feira

O veto ao Projeto de Lei 2053/2016 que garante a jornada de 30 horas para os inspetores de alunos das escolas da rede estadual irá  à votação nesta terça-feira, dia 25/06, às 15 horas. O Sepe convoca os inspetores e demais profissionais de educação da rede estadual a lotar as galerias da ALERJ para que possamos pressionar os deputados a derrubarem o veto do então governador Francisco Dornelles a este projeto que corrigia uma séria injustiça contra este segmento da categoria que ficou de fora da lei estadual que instituiu a carga horária de 30 horas para os demais funcinários administratvisos.

Entenda o que será votado amanhã e a importância da derrubada do veto
 
O veto total do então governador Dornelles ao projeto de lei 2.053/16, que adiciona os inspetores de alunos à categoria de pessoal administrativo educacional, sujeitos a 30 horas de trabalho por semana é importante para corrigir uma séria injustiça para com os inspetores de alunos, que ficaram de fora da lei das 30 horas para os funcioários e ainda são obrigados a cumprir 40 horas semanais. Desde o ano passado o veto esteve para ser votado por algumas vezes, mas a pauta sempre acabava derrubada pelos deputados do plenário.
 
O projeto de lei 2053/2016 e da autoria dos deputados Flávio Serafini (PSol) e Waldeck Carneiro (PT) e dos ex-parlamentares Comte Bittencourt e Tio Carlos, a proposta altera a Lei 1.348/88, que regulamenta o quadro de funcionários da Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) e corrige a distorção que deixa de fora os inspetores de alunos da carga horária semanal de 30 horas.
 
A carga horária já havia sido estendida em 2016, por força de um projeto aprovado à época, a todos os profissionais administrativos, exceto os inspetores, e o projeto de lei 2.053 repara esta injustiça.
0

A rede Estadual está em plena campanha salarial 2019, em luta contra o arrocho e congelamento dos salários já há 5 anos. Na semana que vem, o Sepe irá se encontrar com o presidente da Alerj, deputado André Ceciliano, para mostrar a enorme defasagem do piso salarial do magistério estadual, se comparado ao piso nacional; e também a enorme diferença do piso do funcionário administrativo das escolas, se comparado ao próprio piso salarial regional. (Neste link, no site do Sepe, você pode ler as tabelas comparativas da categoria: 
 
No link a seguir, matéria do jornal O Dia sobre a campanha salarial – lembrando que no dia 29 de junho a categoria se reúne em assembleia (sábado, 14h, local a definir).
 
Leia pelo link abaixo o documento da campanha salarial 2019 entregue pelo Sepe aos deputados estaduais na ALERJ, falando sobre a defasagem salarial e os problemas na rede:
 
Na assembleia do estado, no dia 29 de junho, no auditório 33 da UERJ, os profissionais da rede estadual estarão reunidos para discutir todos estes assuntos e deliberar as estratégias de luta para conquistar a nossa valorização e obrigar o governo a cumprir as nossas reivindicações.
0