Agende seu Atendimento Virtual pelo Departamento Jurídico do Sepe nos fones: (21) 99992-4931 (9h às 11h); (21) 97133-7101 (13h às 15h); ou pelo email: juridico@seperj.org.br – segunda a sexta feira

Nesta quarta-feira, mais uma operação policial levou profissionais da educação e alunos da Maré e Alemão a passarem pela situação de terror e medo de serem atingidos pelos constantes tiroteios, envolvendo policiais e traficantes ou de confrontos entre facções que disputam o controle da venda de drogas em áreas carentes da cidade (foto ao lado Portal G 1). Vídeos e fotos mostram cenas de crianças se protegendo nas escolas, com a supervisão dos profissionais de educação. São cenas que, infelizmente, estão quase se naturalizando para os moradores do Rio de Janeiro, mas não deveriam – não podemos achar que isso é “normal”.

O Sepe repudia a forma como as forças de segurança e o próprio governo do estado tratam esse grave problema, com ações que colocam na linha de tiro, muitas vezes, profissionais de educação, alunos, pais e responsáveis, como vem ocorrendo, com regularidade, nas comunidades mais carentes.

Não é de hoje que o Sepe-RJ e os membros da comunidade escolar denunciam o aumento da violência no entorno das escolas, com a escalada do número de operações policiais. A constante troca de tiros ou a realização de operações sem qualquer planejamento prévio já causou inúmeras mortes de estudantes, como no caso da aluna Maria Eduarda, morta em plena aula de educação física na Escola Municipal Daniel Piza, em Acari, no final do ano passado.

A direção do Sepe, há vários anos, alerta governos e parlamentares sobre a gravidade da situação – já em 2006, o sindicato fez um dossiê com os nomes de mais de cem escolas que ficavam em regiões de risco. Ano passado, o Sepe teve audiência com o então secretário municipal de Educação, César Benjamim, quando informamos que há anos o sindicato tem denunciado a falta de segurança nas escolas da rede e a violência cotidiana que sofrem os alunos e profissionais, notadamente em áreas conflagradas; também denunciamos a carência na rede de profissionais fundamentais na prevenção à violência, como porteiros e inspetores de alunos.

Denunciamos, também, a quase inexistência de uma política de Segurança, Investimentos Social e Cultural para áreas extremamente carentes por parte do governo do Estado e prefeitura.

Escola não é lugar de tiros e bombas e sim de acolhimento. 

Foto do Portal G 1 – leia no link a seguir matéria do Portal G 1

0

As aposentadas e pensionistas de Duque de Caxias fazem ato em frente ao fórum do Tribunal de Justiça-RJ (Centro do Rio) nesta quinta (19), a partir de 10h, quando irão acompanhar o julgamento da ação do Sepe contra o atraso no pagamento do 13º salário de 2018 – 1/3 dos servidores aposentados e pensionistas daquele município ainda não receberam aquele direito. O julgamento está sendo feito pela 22ª Câmara do TJ.

0

No dia dia 23 de setembro (segunda) ocorrerá a continuidade do julgamento, no Tribunal de Justiça-RJ, da inconstitucionalidade do cargo de AEI, julgamento que havia sido suspenso na audiência anterior, dia 08/07. O Sepe convoca as agentes para o ato público em frente ao Tribunal neste dia 23, a partir de 11h. Os participantes deverão vestir roupas pretas. O sindicato irá reivindicar abono de ponto à SME-RJ no dia do novo julgamento.

Leia aqui a matéria sobre a situação das AEIs: TJ-RJ adia julgamento dos recursos sobre Agentes de Educação Infantil (AEIs)

0

De 20 a 24 de outubro, a ANPEd (Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Educação) realizará sua 39ª Reunião Nacional, na Universidade Federal Fluminense, com o tema "Educação Pública e Pesquisa: ataques, lutas e resistências". Numa iniciativa para integrar os pesquisadores da Educação Básica em suas atividades e de ampliar sua participação, a ANPEd está convidando os profissionais da educação básica filiados ao Sepe para participar do evento. Os profissionais que desejarem participar e fizerem as suas inscrições pelo Sepe Central, Núcleos e Regionais do sindicato serão inseridos em uma lista a ser enviada para a ANPEd e terão 50% de desconto nas inscirções.

Neste ano, os debates que serão realizados na 39ª reunião da ANPEd serão voltados para a construção de estratégias de resistência aos ataques que a educação e a democracia brasileira vêm sofrendo e a formação de um espaço coletivo de formação, reflexão e organização. Os profissionais das redes públicas que quiserem participar e obter o desconto na inscrição devem procurar o Sepe Central, núcleos e regionais do sindicato para inserir seus dados na lista que enviaremos para a organização do evento.

Mais informações sobre o evento podem ser obtidas no site da Associação: http://www.anped.org.br/

0